Menu fechado

Por Samia Malas

Sódio: vilão ou aliado dos cães e gatos?

Veja as diferenças do consumo desse mineral entre pets e humanos

Sabemos que uma dieta rica em sódio pode trazer sérias consequências para o Homem e, por isso, muitos tutores acreditam que o mesmo acontece no organismo dos pets. Assim, quando resolvem adotar uma alimentação natural (AN) para o pet, acabam, equivocadamente, retirando totalmente o sódio da dieta. O que esses tutores geralmente não sabem é que o mineral é essencial para os animais, pois atua em diversas funções do metabolismo, e a ausência ou restrição de sódio de forma não acompanhada ou sem necessidade pode acarretar diversos problemas, como inquietação, falta de apetite, anorexia, problemas no crescimento do pet, desidratação e aumento dos batimentos cardíacos. “O sódio é um nutriente essencial na alimentação de cães e gatos. Nenhum nutriente em excesso é indicado, mas também devemos ter em mente que cães, gatos e humanos são espécies totalmente diferentes, principalmente em relação ao metabolismo de nutrientes. Ou seja, o que é considerado excesso para humanos não é válido para os cães e gatos”, aponta Flavio Lopes da Silva, médico-veterinário mestre em nutrição de cães e gatos. Ainda segundo ele, é um erro grave oferecer uma dieta caseira ou um alimento natural sem sal, pois o sódio é essencial para o bom funcionamento do organismo dos cães e gatos. “A dieta precisa ser balanceada para que o animal não tenha nenhuma deficiência”, frisa. Além disso, o médico-veterinário ainda dá uma dica de como o sal deve ser incluído na dieta do pet que recebe AN. “O sal não deve ser colocado no preparo do alimento, pois dessa forma não saberemos a quantidade exata que o animal está ingerindo. O ideal é que o sal seja acrescentado somente na hora de servir o alimento. A quantidade vai depender das necessidades de cada animal, e é indispensável contar com a orientação de um médico-veterinário ou zootecnista especializado em nutrologia”, ensina.

Benefícios do sal

Lara Volpe, médica-veterinária mestre em nutrição de cães e gatos, explica que o mineral tem papel importante na manutenção da pressão arterial, participação no processo de condução de impulsos nervosos e contração muscular e regulação do equilíbrio ácido-básico. “Apesar de todas essas funções importantes, o sódio é visto por muitos tutores, erroneamente, como um vilão, que pode provocar hipertensão arterial, prejudicar a função renal e predispor o animal a cardiopatias”, acrescenta.

Cuidado com a humanização

A crescente humanização dos animais de companhia faz com que muitos tutores transfiram para eles os mesmos cuidados que têm com a própria alimentação. Na medicina humana a ingestão moderada de sódio é comumente relacionada ao controle de problemas cardíacos e renais, contudo a tolerância desse nutriente é bem maior em pets saudáveis. “Os cães e gatos saudáveis toleram maiores níveis de sódio que humanos devido ao seu mecanismo fisiológico compensatório. Neles, o equilíbrio é mantido por meio de alterações na excreção urinária desse mineral. Portanto, em animais saudáveis, um aumento na ingestão de sal é acompanhado por aumento na excreção urinária de sódio, que leva água consigo. Por consequência, o animal tende a beber mais água para compensar. Sendo assim, o efeito imediato do aumento da ingestão de sal é o aumento do volume de urina e do consumo de água”, explica Lara. “Mas atenção: é importante ressaltar que esse mecanismo de excreção é bem otimizado em animais saudáveis, mas pode estar falho em algumas doenças, por isso, ao optar por uma alimentação não convencional, é fundamental o acompanhamento da saúde do pet por um médico-veterinário”, alerta a veterinária.

Um dos principais erros com relação ao consumo de sódio pelos animais é pensar que ele pode comprometer a função renal. Outro risco relevante atribuído ao excesso de sal no longo prazo seria seu efeito na pressão arterial. No entanto, estudos científicos usando altas doses de sódio em cães e gatos não tiveram relação com a incidência dessas doenças. Portanto, até o presente momento, ainda não está claro qual o limite máximo de sódio que os pets saudáveis toleram, mas sabe-se que é muito superior ao tolerado pelo ser humano.

Rações comerciais

E, para o pet que consome rações industrializadas, o alerta também é válido. Segundo Flavio, por ser um nutriente essencial para cães e gatos, o sódio deve estar presente também nos alimentos comerciais. “Para assegurar que o pet não esteja ingerindo excesso de sódio, o tutor deve optar por produtos que contenham as informações sobre esse nutriente em seu rótulo, buscando essencialmente os alimentos super premium produzidos por empresas reconhecidas no mercado”, diz.

Flavio Lopes da Silva

Médico-veterinário mestre em nutrição de cães e gatos e supervisor de capacitação técnico-científica da PremierPet.

Lara Volpe

Mestre em nutrição de cães gatos, atua como analista de treinamento técnico da Adimax.